Funchal investe 120 mil euros no reforço e modernização de papeleiras

A Câmara Municipal do Funchal vai investir 120 mil euros na instalação de 21 papeleiras inteligentes em 7 pontos do concelho, divididos pelas freguesias de São Martinho, Sé e Santa Maria Maior. A aquisição destes equipamentos dotados de um compactador alimentado a energia solar já foi adjudicada, e estes serão agora instalados em pontos do Funchal com elevado fluxo de pessoas e com elevada produção de resíduos recicláveis, em mais um projeto cofinanciado pelo POSEUR.

Segundo o Presidente Miguel Silva Gouveia, “estes equipamentos possuem uma capacidade de armazenamento oito vezes superior aos contentores convencionais e, devido ao sistema de compactação automático movido a energia solar, permitirão fazer uma melhor gestão e planeamento da recolha seletiva que é realizada pelo Município, e que é uma referência nacional.”

“Na prática, a implementação deste sistema permitirá reforçar a rede de recolha seletiva de resíduos, o que potenciará um aumento da taxa de recolha seletiva e a redução das necessidades e dos custos de recolha, tendo em conta o aumento da eficiência da operação”, acrescentou.

Os locais de implantação são os seguintes: Jardins do Lido, Avenida Sá Carneiro, Avenida do Mar (entrada do Cais), Avenida Arriaga (junto ao Teatro Municipal e junto à Caixa Geral de Depósitos), Rua Dr. Fernão de Ornelas e Rua D. Carlos I (junto ao teleférico).

“Esta solução irá, ainda, contribuir para reduzir fenómenos de deposição de resíduos fora dos contentores, devido ao rápido enchimento das papeleiras convencionais, conferindo à cidade um aspeto cada vez melhor, na linha do trabalho que já temos vindo a realizar ao longo dos últimos anos com as ilhas ecológicas.”

As papeleiras inteligentes são, neste caso, mais uma solução que concorre para o mesmo objetivo, estando estas dotadas de equipamento de controle do nível de enchimento, que será monitorizado através de um programa informático próprio, através do qual será possível gerir com eficiência a recolha dos resíduos recicláveis nelas depositados.

Miguel Silva Gouveia sublinha que “ao reforçarmos a rede de deposição seletiva de resíduos nos espaços públicos do Município, estaremos a diminuir a premência de recolha e de tratamento de resíduos indiferenciados e a aumentar a taxa de recolha seletiva e de reciclagem do Município, que é neste momento responsável por cerca de 2/3 da recolha seletiva da Região Autónoma da Madeira.”

O Presidente conclui que “o atual Executivo assumiu a sustentabilidade ambiental como um dos pilares da sua ação e consideramos que estes investimentos são, igualmente, projetos de proximidade com os funchalenses porque a sensibilização para a recolha seletiva requer participação cívica e o envolvimento de todos, de modo a que possamos dar ao nosso concelho uma paisagem cada vez mais limpa e agradável.”



Usamos cookies no nosso site para melhorar o desempenho e experiência. Ao continuar, declara aceitar todos os cookies.